Câmara
Buscar no site:

Servidores de escola de Cabo Verde fazem aposta para perder peso


Em 03/09/2013 - Servidores de escola de Cabo Verde fazem aposta para perder peso

Nove funcionários apostaram juntos quem perde mais peso em três meses. Cada um investiu R$ 100 e, no final do período, o ganhador leva a ‘bolada’.

Um grupo de servidores de uma escola deCabo Verde (MG) resolveu provar que a união faz a força e bolar uma estratégia para perder peso juntos. Durante três meses, nove participantes irão fazer dieta e, no final do período, quem perder mais peso leva uma bolada de dinheiro. Cada um dos servidores investiu R$ 100 na premiação.

O grupo trabalha na Escola Estadual Pedro Saturnino de Magalhães. O primeiro passo do projeto foi subir na balança e encarar o desafio de frente. Um dos participantes, Márcio Donizete, vai ter um trabalhão pela frente: a balança parou em 131 kg. “É bastante peso”, comenta. Mas além disso, há outros problemas que o auxiliar de serviços pretende melhorar com a dieta. “Atrapalha muito a andar, e dá muita dor nas costas”, explica.

A ideia de colocar a turma na linha partiu do Aibi Jorge Torres, outro que já passou dos 100 kg e a quem não falta bom humor para enfrentar o desafio. “Eu estou mais (no projeto) para ajudar o pessoal, porque eu acho que não preciso não”, brinca.

Participante: Rosilaine (64,5 kg), Eliana (73,4 kg), Aparecida (77,3 kg), Patrícia (92,5 kg), Lilia (99,9 kg), Aibi (102,1 kg), Cristiane (107,2 kg), Márcio (131,2 kg). O 9º participante não havia pesado até a publicação desta reportagem

A pesagem oficial foi feita na terça-feira (20) . Cada funcionário apostou R$ 100 e daqui a três meses todos vão subir na balança de novo. Quem tiver perdido o maior percentual de peso, vai levar a bolada: R$ 900 pelo esforço e sacrifício.

Pra levar a grana pra casa, Donizete pensa em perder 40 kg e a dedicação ao objetivo é grande. “Eu vou fazer caminhada, uma alimentação melhor e eu tenho quase certeza que vocês vão me ver bem magro daqui uns tempos”, conta. Se ganhar, além de estar mais magro, Donizete vai sair com dinheiro no bolso. “Pelo menos pra comprar outra camisa, porque essa não vai servir mais (risos)”, brinca, se referindo à roupa que usava no dia da pesagem.

A auxiliar de educação física Patrícia Figueiredo está disposta a perder, pelo menos, 25 kg e já começou a reprogramar o corpo. Além dos exercícios voltarem a fazer parte da rotina, ela resolveu organizar a rotina de refeições. O almoço, por exemplo, que tinha sido eliminado, agora está no cardápio de novo. “Só domingo que eu almoçava”, conta.

A mudança já começou na rotina da auxiliar. “Hoje de manhã eu já tomei café, levei almoço para escola hoje e comi, e depois de três horas, no intervalo da escola, eu pretendo comer uma fruta, e à noite só uma saladinha.”

Para a médica nutróloga Andrea Almeida Magalhães, Patrícia está no caminho certo.O emagrecer que a gente enfatiza hoje é justamente o comer certo, não é o parar de comer ou tirar grupos de alimentos”, explica.

Os outros funcionários da escola que não entraram na disputa resolveram fazer mais uma aposta. A supervisora Analy de Sousa conta que foi feito um bolão paralelo de torcida, que irá aumentar a premiação do que perder mais peso. E daqui 90 dias, o grupo promete resultados grandiosos. “Daqui uns três meses, ninguém aqui vai ser reconhecido”, brincou Torres.

Fonte: A Folha Regional - Ed. 1157 (EPTV)